Dia das Crianças? Cadê meu presente?

Olá gente linda, tudo bem? 
Estamos aqui firmes e fortes mesmo durante o feriado! Aliás, feliz dia das crianças, inclusive para aquelas que, assim como eu, já estão na casa dos 30! Hehehehe. Afinal, a criança que está aqui dentro, nunca morre e está sempre querendo mais e mais!

O post de hoje é sobre infância, ou melhor, sobre a saudade que eu tenho dela! Quem aí não tem saudade de viver novamente várias situações que vivemos na infância?

Eu por exemplo, morro de saudade de quando meu pai me colocava no colo dele, dentro do carro e fingia que era eu quem estava dirigindo (antes que chamem meu pai de louco, isso só acontecia dentro do meu condomínio, entre a portaria e a vaga do carro, cerca de 50 metros e com ele controlando tudo, ok?). Eu amava aquela sensação, e acreditava mesmo que o carro estava sob meu comando, era sensacional!

Outra coisa que eu adorava fazer, e ainda faria hoje durante horas, é brincar de Lego! Quanta coisa eu já construí e inventei com Lego. Brincava com as amigas, com minha irmã e até com meus pais! Outro dia fui na casa de uma amiga e o filho dela estava lá, brincando em meio a milhões de pecinhas espalhadas pelo chão. Advinhem o que eu fiz? Deixei a amiga de lado e fui pro chão brincar com o filho dela, hehehehe. Só não gostava quando pisava em uma pecinha. Nossa, como dói pisar em Lego!

Outra saudade que eu tenho é de pular elástico! Era uma das minhas brincadeiras favoritas, e eu sabia pular todas as fases, era demais! Quem aí pulou elástico também?

Amava brincar de circo com a minha mãe, meu pai e minha irmã! Nós fazíamos altas piruetas e acrobacias no meio da sala, era tão divertido! Não sei como não me quebrei inteira, acho que papai e mamãe sabiam manter tudo sob controle. Nós dançávamos muito também. A mamãe comprava discos da Xuxa, do Balão Mágico, do Trem da Alegria e muitos outros discos infantis para a gente dançar e brincar. Nós usávamos a casa inteira de palco! Era mágico esse momento.

Eu aposto que se você é menina, você também teve uma coleção de papel de cartas!
Eu tinha uma pasta com vários, e eu costumava trocar com as meninas da escola e do condomínio, todas tinham, era uma unanimidade! Eu me lembro até hoje de um que era mega especial, minha tia que mora na Itália que tinha me dado de presente, então ninguém tinha um igual.
Era a figura de um gatinho, e a barriguinha, orelhinha e rabinho do gato tinham uns pelinhos bem macios! As meninas ficavam bravas porque eu nunca trocava ele por nenhum outro. Me lembro até de uma amiga que me ofereceu 10 papéis de carta por ele, e eu: NÃO. Hehehehe. Não era egoísmo gente, era muito amor! No fim das contas, quando eu tinha uns 15 anos, eu acabei usando ele para escrever uma cartinha para uma amiga minha que tinha acabado de perder o pai em um desses episódios triste da vida! Acho que usei bem, né?

Outra saudade que eu tenho é de xeretar as maquiagens da minha mãe! Quem nunca, né? Desde pequena eu já adorava um batom vermelho, igual a Mariana do vídeo abaixo! Sim, eu e a Mariana temos muito em comum! Uma vez eu comi todo o batom vermelho da minha mãe e fiquei com a cara igualzinha da Mari. Meus pais também registraram a cena. Prometo que vou tentar achar as fotos na casa da minha mãe e postar para vocês! Eles fizeram praticamente um book de mim com a cara toda lambuzada de batom. 

Bom, como hoje é feriado e eu não quero tomar muito do tempo de vocês, eu encerro o post por aqui, mas não posso terminar antes de lembrar que ser criança é a melhor coisa da vida! É definitivamente a melhor fase que vivemos. São as mais doces lembranças que podemos ter. Não temos responsabilidades, obrigações, contas a pagar, e blá, blá, blá! Então se você já é pai, mãe ou responsável por uma criança, cabe a você proporcionar a melhor infância para ela! Deixem as crianças serem crianças, simples assim. Esse é o melhor presente que meus pais me deram! Obrigada! 

Mega Beijo pessoal e até quarta-feira!

Compartilhe nas Redes Sociais